Porto Campeão ...

Chegou ao fim a Superliga 2006/07, tendo este ano a novidade de apenas ter 30 jornadas, com a redução do número de clubes para 16.
Tudo começou com o fantasma do caso Mateus, com o Benfica a ser o principal prejudicado ao ter estado parado quase um mês sem competição, isto depois de ter começado mais cedo devido à pré-eliminatória da Champions League. E quando retomou a competição perdeu 3 pontos, com 3 golos sem resposta frente ao Boavista. Coincidência ou não, estes 3 pontos davam o título ao Sport Lisboa e Benfica. Mas não se pode saber como teria sido, se a justiça desportiva tivesse sido bem mais célere ...

Continuando ...

O FC Porto venceu a Superliga, com o professor Jesualdo Ferreira a adiar para a última jornada a decisão do título, quando chegou a ter 11 pontos de avanço sobre os perseguidores. Para a história vai ficar um campeonato acima do normal de Ricardo Quaresma, o que o levou à titularidade na Selecção Nacional (ainda que tenha tido a ajuda de Simão ter estado castigado). Pepe que despertou (segundo os jornais) o interesse de grandes clubes europeus e de Lucho González, embora com alguma inconsistência de exibições, foi sempre o maestro do meio campo azul e branco. Foram estes, para mim, os líderes da equipa portista que chegou ao título com mais ou menos justiça.

O Sporting Clube de Portugal consegue também um lugar de acesso directo à Liga dos Campeões, com o 2º lugar que conseguiu. Paulo Bento demonstrou ser um exemplo de liderança firme e disciplinadora, o que vem de acordo à forma de estar em campo enquanto jogador, e afirmou-se como um dos grandes treinadores portugueses da actualidade e com certeza de um futuro próximo. Uma equipa maioritariamente jovem, formada nas camadas jovens leoninas, conseguiu ter uma performance de resultados muito boa, aliada a uma ponta final de exibições bastante consistentes. Passadas 30 jornadas, o Sporting é um justo 2º classificado, porque os números assim o afirmam.

O Sport Lisboa e Benfica levou com o Processo Mateus em cima, o que poderá ter condicionado o seu primeiro jogo, e três pontos que podiam valer o título. Fazendo o balanço da época da equipa de Fernando Santos, e analisando todas as condicionantes, desde o castigo a Nuno Assis (um jogador que estava a fazer uma época fantástica), e as lesões de Nuno Gomes, Miccoli, Luisão, Quim, Simão, Rui Costa entre outros, condicionaram e muito a equipa encarnada. Após a derrota em Braga, e as palavras duras de Luís Filipe Vieira, o Benfica tornou-se uma equipa bastante mais segura, sem daí para cá averbar qualquer derrota. Além disso, o desgaste de uma Taça Uefa e antes Liga dos Campeões, causaram alguma quebra física nos homens da Luz. Pelo que, reservo-me o direito de considerar uma época positiva, e que o 3º lugar a 2 pontos do campeão, não mancha uma carreira que os homens de Fernando Santos fizeram para que fosse melhor, e que tivesse títulos no fim da época.

Em suma, qualquer dos três grandes que se sagrasse campeão, e pela diferença pontual, era bem possível ter sido qualquer um a sê-lo, teria sido um justo campeão!

A Europa fica reservada para Sporting de Braga, Belenenses e o estreante Paços de Ferreira, com Leiria e Nacional à espreita da Intertoto.

No fim da tabela, a fava calhou ao Desportivo das Aves e ao Beira-Mar, que discutiram até à última com o Setúbal a permanência no escalão principal do futebol português.

Sendo assim, parabéns aos campeões, alento aos derrotados (sem o serem), e uma análise mais detalhada a todas as equipas será feita mais à frente (pois o defeso deixa margem de manobra para todas as análises).





Fonte: uefa.com

2 comentários:

Ines Nogueira disse...

Em certos comentarios.... senti uma pontinha de inveja... nao sei nao sei lolol secalhar foi impressao minha!

... enfim x')

CAMPEOES NAO...BI-CAMPEOES! ;)
BIBO PORTO CARAGOOOOOOOOO!

cris disse...

eheheheh pois, bi- campeões. Em todo o caso, obrigada. Gostei de ler nas entrelinhas e penso não me ter enganado: sensatez e fair play.